Jantar festivo – 36 anos ABMES e anúncio dos vencedores do Prêmio ABMES de Jornalismo (2ª edição)

Por: Janguiê Diniz
d0c273f8-4022-447c-bcde-6af4cb12aa92

Discurso do diretor presidente Janguiê Diniz

Prezadas senhoras, prezados senhores.

Muito boa noite!

-O que nos traz a este belíssimo salão são duas ocasiões que muito me alegram: festejar os 36 anos da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior e premiar os vencedores da 2ª edição do Prêmio ABMES de Jornalismo.

-Há 36 anos, a ABMES foi criada a partir da postura visionária de homens e mulheres que acreditavam no potencial do setor particular de educação superior enquanto agente indutor da economia nacional e também do desenvolvimento social.

-Saímos de uma representatividade de 70,3%, em 1982, para atingirmos a marca de 87,7% das instituições de educação superior do Brasil em 2016. Há 36 anos, éramos 614 instituições e hoje somos mais de 2.100. Embora, aparentemente, estes sejam números frios, a verdade é que eles representam, apenas neste momento, mais de 6 milhões de estudantes em nossos bancos escolares e salas de aula virtuais em busca de qualificação profissional e de um futuro melhor para eles e suas famílias.

-Seria muita pretensão dizer que todo esse fortalecimento do setor se deu em virtude da criação e da projeção alcançada pela ABMES no cenário nacional. É inegável o amadurecimento experimentado pelo país nos últimos anos tanto na esfera econômica quanto na social.

-Em apenas 36 anos, voltamos a ser uma democracia, promulgamos uma Constituição Cidadã que estabeleceu o Estado Democrático de Direito, sob o qual estamos todos amparados, vivenciamos retomadas do crescimento econômico e também algumas crises financeiras e éticas. Apesar de tantos altos e baixos, não perdemos do horizonte a relevância da educação para a consolidação da nação que todos almejamos.

-No entanto, senhoras e senhores, não há como negar o relevante papel desempenhado pela ABMES desde a sua fundação. Como ressaltei na manhã de hoje em seminário sobre o papel da educação para o fortalecimento do Estado Democrático, realizado na sede da Associação com a presença da presidente do STF a Ministra Carmem Lúcia, a história da ABMES tem sido escrita com base em diálogos constantes com distintos governos e na atuação incisiva para a elaboração e o acompanhamento de políticas públicas voltadas para a área da educação.

-A despeito de corrente política ou de interesses individuais, a ABMES sempre pautou sua representação no fortalecimento do setor particular de educação superior, sem nunca perder de foco a responsabilidade social intrínseca ao segmento de atuação das mantenedoras associadas.

-Com seriedade e sensatez na condução da sua missão institucional, a ABMES regeu o setor nas principais conquistas das últimas décadas, desempenho que a alçou ao posto de principal entidade representativa da educação superior particular do Brasil.

-Hoje, a Associação ultrapassou divisas e fronteiras com o objetivo de fortalecer não apenas as mantenedoras associadas, mas a educação superior brasileira como um todo. Apenas no último ano, estivemos presentes em lugares como Porto Alegre, Belo Horizonte e Fortaleza em um esforço de aproximação e prestação de serviços aos associados que atuam naquelas regiões. No próximo mês, temos Belém como destino.

-Também nos fizemos presentes na Rússia, onde aconteceu a 1ª Delegação ABMES Internacional. Percorremos mais de 14 mil quilômetros em busca de conhecimento, de troca de experiências e de uma ampla vivência que expandiu nossos horizontes e nos apresentou novas perspectivas para a educação superior no Brasil. Agora, estamos com um pé na sala de embarque com destino à Israel, onde, em outubro, acontecerá a 2ª delegação internacional da ABMES.

-A escolha dos destinos não é aleatória. A Rússia é um dos países com o maior número de universidades do mundo. Ali aprendemos bastante sobre como funcionam as instituições de educação superior russas, apresentamos o sistema educacional brasileiro e firmamos parcerias para a ampliação do processo de internacionalização entre instituições daqui e de lá.

-Agora, além de tudo isso, em Israel queremos ainda mais. Queremos compreender como funciona um dos principais polos de inovação do planeta e conhecer as melhores práticas nas áreas organizacionais, educativas e gerenciais, identificando oportunidades reais de cooperação internacional entre brasileiros e israelenses.

-O embarque oficial para essa jornada que será inesquecível, tenho certeza disso, acontecerá em 11 de outubro. No entanto, a nossa viagem começa nesta noite. Pela primeira vez estamos com  todos os participantes reunidos em uma grande oportunidade de estreitar relacionamentos, trocar conhecimentos sobre o destino e compartilhar expectativas.

SENHORAS E SENHORES.

-Mas, como eu disse no início, hoje também é dia de anunciar e premiar os vencedores da 2ª edição do Prêmio ABMES de Jornalismo. A iniciativa foi criada pela ABMES com o objetivo de reconhecer e valorizar o papel da imprensa no fortalecimento da educação superior brasileira.

-A Associação acredita que o crescimento e o desenvolvimento da cobertura jornalística especializada contribuem para a busca permanente de melhoria do setor educacional, além do progresso do país, gerando benefícios sociais, políticos, econômicos e culturais.

-O papel social da imprensa se manifesta em diversas formas. Ele está presente no agendamento dos principais temas que mobilizam a sociedade; na ampliação e no aprofundamento de discussões relevantes; na atuação estratégica que possui na formação da opinião pública; na vigilância constante que resulta em denúncias de má gestão da coisa pública; e na pressão que os veículos de comunicação exercem junto aos entes governamentais para a implementação, o acompanhamento e o monitoramento de políticas públicas.

-Tamanha responsabilidade é validada pela sociedade que, no Brasil, tem na imprensa a segunda instituição de maior credibilidade.

-Vocês, caros jornalistas, foram figuras essenciais nos acontecimentos políticos vivenciados pelo Brasil nas últimas décadas. Desde o processo de redemocratização, a relevância da imprensa no cenário político é inquestionável. Como ressaltou muito bem o pensador e escritor francês Aléxis de Tocqueville, nos idos de 1835, em seu livro A Democracia na América, a imprensa faz circular a vida política em nosso continente.

-E é esse poder de mobilização e de pautar determinados temas na sociedade que nos faz acreditar na força da imprensa como um dos elementos fundamentais para a transformação do cenário educacional do Brasil.

-Vivemos em um país no qual quase 40% da população adulta não concluiu o ensino médio, sendo que 17% sequer terminou o nível fundamental. Na outra ponta, apenas 17% dos brasileiros com idades entre 18 e 25 anos possuem educação superior. Temos quase 12 milhões de adultos analfabetos e apenas 8% da população plenamente capaz de compreender e se expressar corretamente.

-Como sabemos, os impactos desse quadro crítico são inúmeros. Na esfera econômica, o mercado fica estagnado porque carece de mão de obra qualificada; a renda das famílias não evolui como poderia, já que a graduação multiplica por três o rendimento médio da pessoa em relação àquelas que possuem apenas o ensino médio; e o país perde a oportunidade de crescimento do PIB em 1% para cada três anos a mais de escolaridade média da população.

-Na esfera social as consequências também são diversas. Para começar, nunca é demais ressaltar que educação é, antes de tudo, um direito fundamental estabelecido na nossa Carta Magna. Somente com o conhecimento e a cultura obtidos por meio dela é que o cidadão conquista a sua emancipação social e política. E é exatamente por isso que, sem uma população devidamente instruída e capacitada para exercer a cidadania em toda a sua plenitude, não existe uma democracia verdadeira.

-A educação consiste ainda em elemento determinante na qualidade de vida de um povo. O Índice de Desenvolvimento Humano considera três indicadores no seu cálculo: educação, renda e saúde. Em geral, o vínculo entre educação e renda é rapidamente traçado. Entretanto, a relação estreita entre educação e saúde tende a ser negligenciada. Todavia, apenas o fato de alfabetizar as mães já pode reduzir pela metade o risco de crianças morrerem nos primeiros anos de vida.

-Portanto, senhoras e senhores, a educação está em tudo, e é componente fundamental e transversal em todas as áreas da nossa existência. E é por isso que estamos aqui hoje, nesta grande celebração. É hora de exaltar o empenho e a dedicação dos profissionais de imprensa que, a despeito das dificuldades enfrentadas no dia a dia das redações, não deixaram de lado um tema tão relevante como o da educação superior.

-Também é hora de enaltecer a qualidade dos quase 250 trabalhos inscritos nesta 2ª edição do Prêmio ABMES de Jornalismo. Selecionar os 24 finalistas que estão aqui conosco não foi uma tarefa simples. Por isso, tenham consciência de que cada um de vocês, independente do resultado que será anunciado logo mais, já é um vencedor.

-Quero agradecer a confiança que vocês depositaram na iniciativa da ABMES e por terem aceito o convite para estarem aqui conosco. Sem a participação de vocês, nem o prêmio nem esta cerimônia teriam sentido algum. Meu muito obrigado.

-Igualmente, quero agradecer aos três ilustres imortais, membros da Academia Brasileira de Letras, Arnaldo Niskier e Marcos Vilaça, aqui presentes, e Merval Pereira, que infelizmente não pode comparecer em virtude de compromissos inadiáveis. Desde o ano passado, quando o Prêmio ABMES de Jornalismo ainda dava seus primeiros passos, vocês aceitaram o desafio de estarem conosco nessa jornada.

-Mais do que simplesmente chancelar a iniciativa, vocês dedicaram um tempo valioso para avaliar o material inscrito e, a partir de critérios como técnica jornalística; contextualização social, política e econômica; e capacidade de repercussão, definirem os oito vencedores que serão anunciados em alguns instantes.

-Senhoras e senhores,

-Para encerrar, gostaria de dizer que a jornada que nos trouxe a esse momento é longa. O que celebramos nesta noite é o resultado de 36 anos de intenso trabalho e comprometimento com o fortalecimento do setor particular de educação superior, mas também com a construção de uma nação mais justa e sustentável para todos os que aqui vivemos.

-Cada projeto, cada conquista alcançada, somente foi possível porque nossa história tem sido construída em cima de uma base sólida, calcada em valores e princípios que respeitam os preceitos constitucionais e contribuem para a manutenção do Estado Democrático de Direito.

-Estamos falando de uma história que não se resume em 10, 15 ou 60 minutos de fala, mas que hoje culmina na celebração pelos 36 anos da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior e no encerramento da 2ª edição do Prêmio ABMES de Jornalismo. Portanto, senhoras e senhores, mais do que palavras, o que ficará nas nossas mentes e corações é a alegria e a emoção aqui compartilhadas.

-Dito isso, felicito mais uma vez todos os 24 finalistas do Prêmio ABMES de Jornalismo e saúdo, de forma especial, os oito vencedores. Além de reconhecer o brilhante trabalho desenvolvido por vocês, esta também é uma noite de agradecimento. Agradecimento pela consciência da contribuição social intrínseca à profissão de vocês e agradecimento pela seriedade na condução do trabalho desenvolvido por cada um. Contem conosco para a construção de um jornalismo mais forte e atuante no universo das políticas públicas de educação, em especial às da educação superior.

-Para a aniversariante do dia, deixo os meus mais sinceros votos de uma vida longa e próspera. Que a nossa ABMES continue firme nos seus propósitos iniciais ao mesmo tempo em que dialoga com as transformações políticas e sociais que incidem na sua missão institucional. Que esses 36 anos se multipliquem por muitas vezes e que essa trajetória seja acompanhada da evolução na educação que todos sonhamos.

Parabéns, ABMES!

Que Deus abençoe a todos.

Mestre e Doutor em Direito, Fundador e Presidente do Conselho de Administração do grupo Ser Educacional, Reitor da UNINASSAU - Centro Universitário Maurício de Nassau e da UNAMA - Universidade da Amazônia

Contatos

R. Treze de Maio, 254 - Santo Amaro - Recife - PE - CEP 50100-160
+55 (81) 3412-6285
+55 (81) 3413-4643